Tolstói também foi dramaturgo!


(na imagem, Tchékhov e Tolstói)

Nunca se falou tanto de Lev Nikoláievitch Tolstói como agora, no Brasil. O boom da literatura russa e, em especial, de Tolstói já foi tema, inclusive, de matérias na impressa russa (veja aqui). Muito disso se deve ao fato de que nunca se traduziu tanto do russo para o português e, nunca antes pudemos ler em tradução direta obras fundamentais de Lev Tolstói, como Anna Karênina e Guerra e paz.

Dessa forma, os romances do grande autor russo já começam a ser familiares para nós, mas, o que poucos sabem, é que o frutífero escritor (cujas obras completas – ainda em russo – chegam a 90 volumes) era também filósofo religioso, critico de arte, pedagogo, editor e dramaturgo. Sim, Tolstói escreveu algumas peças de teatro. Sua última peça, Cadáver vivo (editada pela Peixoto Neto, na coleção Os Grandes Dramaturgos) é, sem dúvida, seu mais interessante drama.

A peça surgiu na mente de Tolstói, segundo seu diário, em 1827, tomando forma de um drama-comédia intitulado O cadáver. A ideia, porém, não frutificou. Até janeiro de 1900. Nesse mês, Tolstói foi à encenação de Tio Vânia, de Tchékhov, no Teatro de Arte de Moscou. O trabalho que os artistas do TAM tinham com Tchékhov era especial e geraria tudo o que entendemos de dramaturgia. Tolstói, no entanto, odiou a encenção. E foi com essa repulsa artística que finalizou O cadáver vivo, tentando afastar-se de Tchékhov o máximo que lhe fosse possível.

A peça mostra-nos o casal Fiódor e Liza, que vive uma crise. Ela não suporta mais o marido. Ele mostra-se a cada dia mais desajustado e beberrão. E juntos, eles levam uma vida de aparências. Até que um aparente incidente pretende libertá-los do enfado de serem casados.

Há quem diga que Cadáver vivo é a peça mais próxima do tchekovismo que Tolstói já escreveu. Há, claro, quem defenda o oposto. Deixo a decisão para o leitor. Nunca existiu um tempo tão propício para se conhecer o (também) dramaturgo Lev Tolstói. Aproveite-o!

Serviço

O cadáver vivo, de Lev Tolstói. Tradução Eléna Vássina e Graziela Schineider. Compre aqui 

Raquel Toledo é editora assistente da Peixoto Neto e é apaixonada por teatro, livros e a Rússia.

indico Editora Peixoto Neto

Publicado em 07/12/2011, em Arte, Cultura, Informação, Livraria, Mensagem, Noticias, Novidades, teatro, Teatros e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: